Theme Preview Rss

Momento: Gêneros Textuais e Letramento

 
A inserção no mundo letrado se dá pela interação com os mais diversos gêneros de texto escrito que circula pela sociedade. Trabalhar com gêneros escritos em sala de aula tem como objetivo o desenvolvimento das capacidades necessárias para sua plena participação no “mundo da escrita”.

A capacidade de compreender quais são os gêneros usados nos diferentes contextos sociais e entender a função deles e o porquê de seu uso num determinado contexto, amplia o letramento do aluno.

Este NÃO é o momento para utilizar os gêneros textuais para interpretações, retirar palavras do texto para classificá-las, dividi-las em sílabas, contar palavras ou sílabas, memorizar conceitos, etc. Os alunos precisam aprender a entender os diferentes gêneros que a vida social lhes oferecer para ler.

O trabalho aqui deverá ser focado nos seguintes aspectos:
• O aluno deverá ser capaz de identificar e reconhecer cada tipo de gênero textual que circula na sociedade;
• Como são e como funcionam os gêneros textuais;
• A finalidade e utilidade deste gênero textual;
• Para que público ele foi produzido;
• O aluno precisa aprender a escrever, com fluência e segurança, os diferentes gêneros;
• O aluno deverá ser capaz de no final da semana de trabalho identificar cada gênero não só pelo assunto, mas principalmente pelo seu formato. O objetivo é que o aluno olhe para o texto e saiba diferenciar um de outro (convite, bilhete, cartaz, receita).
• O aluno deverá diferenciar as várias finalidades do mesmo gênero.

Alguns exemplos:

RECEITA:
Há receitas culinárias, mas também existem as receitas médicas. Quais as suas diferenças? Quais as semelhanças? Qual a finalidade de uma e de outra? Em uma está descrito os passos que devo seguir para fazer um tipo de alimento, na outra está discriminado um determinado tipo de remédio que a pessoa deve tomar com a finalidade de aliviar algum sintoma, mas nela também está descrito os passos que devo seguir para tomar a medicação de forma correta, etc.

BILHETE:
Geralmente é feito com mensagens curtas, é trocado entre pessoas. Ele tem a finalidade de pedir, agradecer, oferecer algo, informar, desculpar ou perguntar.
Ele é composto de: Data, nome do destinatário, mensagem, despedida e nome do remetente.

Um bilhete pode ser escrito de forma curta e objetiva, usando apelidos ou nomes abreviados, mas também existe o bilhete que a escola envia para os pais, onde a direção utiliza uma linguagem formal e nele a direção ou supervisão não pode assinar usando um apelido, por exemplo, pois existe uma formalidade a ser cumprida.

É interessante também levar o aluno a entender por que a escola, por exemplo, envia bilhetes ao invés de mandar um recado oralmente. Porque utiliza o bilhete e não uma carta ou um e-mail.

Há ainda o bilhete de passagem de ônibus onde encontramos o nome da empresa de transporte, o dia de saída e o dia de chegada, a hora de saída e hora de chegada no destino, o lugar de assento, o preço da passagem ...

Quais as semelhanças entre eles? E as diferenças? Todas essas questões o aluno deve ser capaz de responder.

CONVITE:
Há vários tipos de convite: para festas de aniversário, casamento, formatura, desfiles, palestras, shows, festas da escola e outros.

É composto de: data, hora, local do evento, e em alguns casos um envelope com o nome destinatário.

O seu conteúdo pode ser caracterizado por letras e outros sinais gráficos. Pode ser feito de variadas formas e tamanhos. Ele pode ser entregue de várias formas: pessoalmente, pelo correio, através de outra pessoa, ...

CARTAZ:
O seu conteúdo pode ser caracterizado por letras e outros sinais gráficos. Pode ser feito de variadas formas e tamanhos. Geralmente ele é afixado em paredes para que todos que passem pelo local possam ter acesso. Apresenta o assunto geral de forma destacada, geralmente em letras maiores que as demais.

Alguns lugares onde podemos encontrar são: no portão da escola, nas salas de aula e no pátio, na sala dos professores; nos postos de saúde e hospitais; nos pontos de ônibus; nos postes e muros; em estabelecimentos comerciais; nos cinemas; em borracharias; em bares, etc.

Há ainda uma infinidade de gêneros que podem ser trabalhados em sala de aula como: agendas, listas, notícias, reportagens, cartas comerciais, ofícios, livros didáticos, trabalhos escolares, entre outros. Espera-se que o professor possa criar e propor outras ações para ampliar o grau de letramento de seus alunos.

Organizado por, Ana Paula Patente

0 Comente esta matéria:

Postar um comentário

Sua opinião, sugestão ou crítica sobre este artigo são muito importantes, por isso, não saia sem deixar seu comentário!

Porém, não utilize este espaço para divulgar links e fazer comentários sem relação pertinente com o artigo, pois todo comentário é previamente lido e só é publicado se tiver referência ou relação com o tema.

Utilize o mural de recados para assuntos que não tenham relação com este artigo.